fbpx
3 de julho de 2022

COBRAPOL soma-se ao repúdio à perseguição de representante dos policiais civis em Tocantins

A COBRAPOL se soma publicamente à manifestação de diversas entidades representativas dos policiais civis, entre as quais a FEIPOL-CON e a FEPOL-NORTE, que repudiaram a perseguição sofrida pelo Agente de Polícia tocantinense Dalberto Júnior, presidente da Associação Aprovida, por parte da Corregedoria Geral da PC do Estado de Tocantins.

Portaria exarada por parte do corregedor, Delegado Wanderson Chaves, alegou que Dalberto Júnior é investigado por suposta infração de “insubordinação”, fato ocorrido após o Agente de Polícia ter exercido seu legítimo direito constitucional de opinião e expressão nas redes sociais como representante de classe, em defesa da justa e necessária isonomia no reajuste para todos os segmentos da Polícia Civil.

As entidades tocantinenses lamentam, com razão, a incoerência na atitude do Delegado, antes vítima da mesma acusação quando coordenou uma fase da investigação em torno da Operação Catarse que apurou denúncias contra o então governador Mauro Carlesse, ainda em 2019.

Por outro lado, estranham que a Corregedoria da PC, ao que tudo indica, apoiada pelo secretário de Segurança Pública, desvia-se de seu papel e, no caso em questão, acaba por promover verdadeira perseguição e tentativa de intimidação de legítimos porta-vozes sindicais por terem defendido legítimos interesses dos policiais que representam.

A COBRAPOL, ao somar-se à justa e legítima manifestação das entidades tocantinenses, espera que atitudes como essa sejam urgentemente reparadas, em nome do bom funcionamento de uma instituição tão importante para a segurança pública nacional como é a Polícia Civil, através da boa integração entre os distintos segmentos que a compõem, todos igualmente importantes para o funcionamento da corporação.

Ademais, condena qualquer atitude que represente abuso de autoridade, antessala da perpetuação de injustiças incabíveis no atual Estado Democrático de Direito que, embora ameaçado, para nosso fortúnio, ainda vigora no país.

Brasília (DF), 27 de janeiro de 2022

André Luiz Gutierrez
Presidente da COBRAPOL

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.