COBRAPOL, COM UPB, COBRA DO GOVERNO MUDANÇAS NA PEC DA PREVIDÊNCIA

A COBRAPOL, através de seu presidente, André Luiz Gutierrez, juntamente com representantes das demais entidades que integram a União dos Policiais do Brasil (UPB), participou nesta terça (14) de reunião com o  secretário da Previdência, Rogério Marinho (fotos), ocasião em que as lideranças apresentaram sua insatisfação com a proposta de Reforma da Previdência para os operadores de Segurança Pública e indagaram se há, por parte do governo, alguma margem de negociação a fim de suspender ou diminuir os impactos da mudança legislativa.

Marinho foi enfático em afirmar que todos os segmentos têm que dar sua parcela de contribuição. Os representantes da UPB argumentaram que há uma diferença de tratamento entre as forças de Segurança Pública e que vários aspectos estendidos às Forças Armadas deveriam também ser oferecidos aos policiais do segmento civil.

Quanto à regra de transição, o governo entende não ser possível apresentar um pedágio para o tempo restante, uma vez que a idade mínima dos servidores do segmento está abaixo dos demais trabalhadores. Foi argumentado que isso se dá em razão da atividade de risco.

O secretário também foi indiferente em relação à diferença de idade entre homens e mulheres policiais, expressando-se contra o pleito dos policiais, ainda que tenha sido lembrado sobre a existência de diferença de tempo de contribuição entre os gêneros na na PEC. Ainda assim, o governo é contrário.

Outro assunto tratado foi quanto à diminuição das alíquotas. A reivindicação é de que seja cobrado o mesmo índice dos militares, mas o governo também foi contrário, alegando que são regimes diferentes. Somente quanto às pensões, o governo ficou de estudar a possibilidade de alterações.

Segundo Gutierrez, “se depender do governo, não teremos nossos pleitos no tocante à reforma previdenciária atendidos pelo governo, e precisaremos, por isso mesmo, intensificar a mobilização das nossas categorias e o trabalho junto aos parlamentares, para que nossas emendas sejam atendidas”.

O dirigente reforçou a convocação que está sendo feita de todos trabalhadores policiais civis e dos profissionais de segurança em geral no próximo dia 21, às 13 h, na Praça das Bandeiras, em frente ao Congresso Nacional, quando será realizado um grande ato, com a presença de todos os Estados, na defesa dos direitos à aposentadoria policial diferenciada.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *