COBRAPOL alerta sobre déficit de policias civis no País, em entrevista no Bom Dia Brasil

Em entrevista exibida na manhã de hoje (22) no Bom Dia Brasil, da TV Globo, o presidente da COBRAPOL, Jânio Bosco Gandra, falou sobre a queda no número de policiais civis em 14 estados e no Distrito Federal. O levantamento realizado pela própria Confederação aponta um déficit de mais de 50 mil policiais em todo o País.

Antes da exibição da reportagem, o âncora do jornal, Chico Pinheiro, ressalta que o resultado desses números é “que não tem policiais para investigar crimes, homicídios, crimes de corrupção, e outros, por falta de policiais, de equipamentos e condições”.

Na entrevista gravada na sede da COBRAPOL em Brasília, Gandra alerta que a medida que não há reposição dos policiais que se aposentam através de concursos públicos, essa defasagem só tende a aumentar. “Se alguém comete um crime e já está com a certeza de que isso pode não ser descoberto, a tendência é aumentar a criminalidade”, afirmou.

A falta de estrutura na Polícia Civil também foi discutida na reportagem.

Assista a matéria completa abaixo:

Por Giselle do Valle
Fonte: Imprensa COBRAPOL

13 comentários em “COBRAPOL alerta sobre déficit de policias civis no País, em entrevista no Bom Dia Brasil

  1. Olá! Parabéns pela excelente reportagem.
    Só gostaria de salientar que a situação da Polícia Civil de Minas Gerais também é caótica.
    Na Policia Civil de Minas, mesmo com a falta expressiva de efetivo, do último certame foram nomeados pouco mais de 1.000 investigadores, sendo que outros 1.200 estão aptos, porém sem nenhuma previsão de serem nomeados e o concurso vence em agosto de 2017…
    Os policiais civis estão doentes, com um alto número de licenças por problemas psicológicos ocasionados pela sobrecarga de trabalho e estresse.
    Em algumas cidades os policiais, sejam delegados, escrivães, peritos ou investigadores não podem tirar férias sequer anuais, pois se isso acontecer as equipes não tem policial substituto.
    Delegados respondem por várias cidades ao mesmo tempo, em uma demonstração clara de que a investigação em Minas é realizada de forma precária. *Muitos inquéritos são apenas “relatados” sem nenhuma condição de investigação*.

    O governo prometeu na campanha eleitoral mudar este quadro e nada foi feito em relação ao efetivo da Polícia Civil.
    É preciso que os investigadores do último concurso sejam nomeados para que a Policia Civil volte a investigar.
    A situação da segurança pública em Minas é a seguinte. Um carro pipa (a PM) desaguando em uma garrafa pet (a PC), em uma demonstração clara de desigualdade de tratamento.
    Esse quadro tem que mudar. Ele afeta toda a segurança pública. A falta de efetivo da Polícia Civil afeta o sistema prisional, a Policia Militar e principalmente o bem estar da população.
    #somos1341

  2. A Polícia Civil de Minas Gerais trabalha hoje com o mesmo efetivo da decada de 80!!
    Existe um déficit de quase 50% no quadro de investigadores!!
    Atualmente, cerca de 1341 aprovados (excedentes) no ultimo concurso de investigador aguardam a nomeação!

  3. Parabéns pela matéria! Gostaria de lembrar que em Minas Gerais existem mais de 1300 excedentes aprovados em todas as etapas do último concurso de investigador. Contamos com o apoio do cobrapol para que possamos ser nomeados e fortalecer a PMMG! Obrigado!

  4. Existem 1341 aprovados em todas as fases do concurso de investigador 2014, o défit de investigadores é enorme no estado de Minas Gerais. O governador só mineira policiais militares.

  5. O déficit de investigadores em Minas Gerais é de cerca de 5000 servidores, temos o menor número de Policiais Civis por habitantes da região sudeste do Brasil. Mesmo com essa defasagem o governo não convoca os 1341 exedentes de investigadores do último concurso. Pedimos apoio dessa instituição por essa causa.

  6. Sr. Governador, olhe pelo povo mineiro que clama por mais segurança, chame os excedentes do último concurso da Polícia civil de minas gerais, são cerca de 1340 aprovados nesse concurso prontos para servir a população e desvendar crimes, e em consequência disso quebrar o ar de impunidade!!! A população agradece! Nomeie já os aprovados!!! Com certeza, farão a diferença.

  7. A segurança pública de Minas Gerais está um total descaso.. Com o déficit de pessoal que a Polícia Civil vem enfrentando, se torna cada vez mais difícil a elucidação dos crimes em MG. Apenas 8 % dos inquéritos policiais são solucionados.
    Um estado com mais de 800 municípios.. Uma vergonha!!!

  8. Minas Gerais tem o mesmo efetivo da década de 80 e neste mesmo período a população triplicou. São menos de 8% a resolução de crimes no estado é um dos motivos é a falta de recurso humano. Hoje são 1341 aprovados em todas as etapas do concurso de investigador da PCMG aguardando a nomeação mas o governador Fernando Pimentel não se manifesta sobre isso. Houve uma matéria, no bom dia Brasil, relatando os estados deficitário em contigente policial e até o momento não entendi porque Minas Gerais ficou sem ser mencionada. Minas é o estado com o menor número de policial civil x população da região sudeste e é o estado com o maior número de municípios. A emissora em uma próxima oportunidade podería corrigir o erro é desde já agradeço a Cobrapol pelo excelente trabalho feito na segurança pública.

  9. Minas clama por socorro, mas o governo permanece inerte #somos1341 aprovados no último concurso de investigador aguardando nomeação. Minas hoje conta com o mesmo número de efetivo dá década de 1980, o déficit chaga a quase 50%.

  10. No Estado do Pará nao e diferente 20 anos atrás tinha mais policiais que hoje que tem em torno de 2.700 para uma população de 9k com 144 municípios.
    Existe um concurso em andamento que vai contratar apenas 300 investigadores tendo em vista que possui 630 aprovados e o concurso não trabalha com cadastro de reserva e portanto descartará os 330 que foram aprovados em todas as fases.
    A informação que temos é que este ano vão se aposentar 600 policiais teremos mais diminuição no quadro. Precisamos mudar este cenário.

  11. *Somos 1341 candidatos aprovados no concurso Público para Investigador de Policia Civil de MG*. Concurso este realizado em 2014. Aprovados em TODAS AS ETAPAS deste concurso.
    O déficit de Investigadores já chega a 50%, sem contar as aposentadorias previstas até o final do ano, o que torna o cenário ainda mais complicado.

    Alguns dados sobre a Segurança Pública de Minas Gerais merecem ser levados em conta:
    – Somente 8% de resolução dos inquéritos, devido ao baixo efetivo.
    – O efetivo da polícia civil é o mesmo da década de 1980, enquanto a população mineira quadruplicou neste espaço de tempo.
    -Minas é o estado com mais municípios da região sudeste, e é o que tem o menor contingente da polícia civil.
    -Minas ficou 6 anos sem concurso para o cargo de investigador de polícia
    -Juiz de Fora, na Zona da Mata, tem um índice de homicídios maior que o da baixada fluminense. A cada grupo de 100 mil habitantes, os homicídios em Juiz de Fora estão em 28,6 contra 21,6 da baixada fluminense.
    -Belo Horizonte tem um roubo a cada 15 minutos (e os mesmos não são elucidados por conta do baixo efetivo de investigadores).
    -A cada 3 horas uma mulher é estuprada no Brasil, e Minas acompanha esse quadro. (e não há investigadores suficientes para prender e punir os criminosos).
    -Conforme a lei, Minas deveria ter mais de 11mil investigadores, no entanto, só há 5 mil exercendo este cargo.
    -O déficit de investigadores no estado de Minas ultrapassa os 50%.
    -O número de roubos em Belo Horizonte subiu 40% no ano de 2016, em relação a 2015 (fonte SEDS, Secretaria do Estado de Defesa Social).

    *Nós os aprovados constamos no orçamento de 2016 e no PPAG do governo e que ainda sim são reposições e não aumento de efetivo o q é liberado pela LRF, pq se deixar assim eles já irão responder “crise financeira e fere a LRF”*

    http://www.aprovadospcmg2014.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *