fbpx
10 de agosto de 2022

Cobrapol Repudia Deputado que Tripudiou Brasília e Seus Servidores

Como ele mesmo diz, “falou bobagem”, agora todos os servidores sabem o que ele pensa.

O deputado federal Gilson Marques (Novo-SC), em audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados que discutia a admissibilidade da PEC 32/2020 (reforma administrativa), presidida pela deputada federal Bia Kicis, do Distrito Federal, falou que Brasília é um “antro de servidores públicos”, que o DF não produz nada para o país.

“Brasília tem o dobro do PIB per capita do que São Paulo. Não produz nenhum prego e São Paulo produz muito. Porque é um antro, um acumulado de inúmeros servidores públicos”, afirmou o parlamentar.

Na presença de Paulo Guedes, o maior algoz dos servidores públicos, presente na audiência, o deputado defendeu a proposta de reforma do governo sob o fundamento de que o Estado não tem condições de custear o funcionalismo público nos moldes atuais. “O serviço público, assim como qualquer produto, precisa caber no bolso do consumidor. Infelizmente, o Estado tem o poder de impor que o serviço seja consumido pelo consumidor que paga a conta contra a sua vontade, e esses serviços no país são excessivamente caros”, disse.

Como lembrou uma jornalista do Correio Braziliense, “antro” significa “casa de perdição e vícios” ou, ainda, “lugar perigoso, covil”.

Portanto, uma manifestação absurda, que merece da parte da COBRAPOL todo repúdio, em nome não apenas dos policiais civis da Capital Federal que representa nacional, mas de todos os demais servidores do Estado que não pertencem a nenhum “antro” de favorecidos.

Muito pelo contrário. A grande maioria desses servidores, como os profissionais de segurança, se encontram com seus salários congelados há anos, direitos suprimidos, como aconteceu na reforma previdenciária e na PEC Emergencial. Mesmo assim, eles continuaram na linha de frente no combate à pandemia e na prestação de serviços essenciais à maioria da população brasileira que depende exclusivamente desses serviços para sobreviver.

A manifestação do parlamentar demonstra, de um lado, um preconceito inconcebível aos servidores públicos, especialmente os da capital do país, que têm grande responsabilidade na formulação e implementação das políticas públicas nacionais, e que não podem ser confundidos com os políticos de ocasião que não têm compromisso com o país.

De outro, uma ignorância abismal sobre o que representam esses trabalhadores, novamente transformados em bodes expiatórios da crise econômica e social, e manobra diversionista para esconder os verdadeiros problemas que consomem os recursos públicos nacionais, como a dívida interna que, só de juros, leva, todos os meses, quase R$ 30 bilhões.

Brasília (DF), 15 de maio de 2021

ANDRÉ LUIZ GUTIERREZ
Presidente