UPB faz ato na Câmara contra REFORMA DA PREVIDÊNCIA. COBRAPOL presente.

A União dos Policiais do Brasil (UPB) fez na tarde desta quarta-feira um ato, na Câmara dos Deputados, em prol de uma alteração do texto da reforma da Previdência, que é prejudicial à categoria. Com palavras de ordem e críticas ao governo, os policiais chegaram a ser contidos de seguir em direção ao corredor que dá acesso ao Plenário da Câmara.


Após uma tensão, a líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann (PSL-SP), abriu as portas de seu gabinete para um diálogo com a UPB. “Se vocês têm uma proposta por escrito, eu me comprometo conversar com a equipe econômica. Nós podemos conversar com vocês. O melhor é o diálogo e não o ataque. Se acalmem que tudo para essa vida tem jeito, só não para a morte”, disse a deputada.

Nesta quinta-feira, a UPB deve finalizar as propostas de emendas parlamentares. No fim do dia, os representantes da categoria se reunirão com a parlamentar para a entrega do documento para Joice Hasselmann.

Pela manhã, os policiais percorreram todos os corredores da Câmara dos Deputados para busca apoio com parlamentares e líderes dos partidos. Os membros da UPB apresentaram argumentos contra o atual texto da reforma da Previdência, além da entrega de materiais.

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, acompanhado de outros dirigentes da entidade, participou do ato da UPB, ocasião em que fez vários contatos com parlamentares, na defesa da aposentadoria diferenciada dos profissionais de segurança na reforma da previdência. “A COBRAPOL ao lado das demais entidades da UPB, intensificará o trabalho junto aos parlamentares em defesa do direito de nossas categorias”, afirmou.

Fonte: Comunicação COBRAPOL, com informações da UBP

Um comentário em “UPB faz ato na Câmara contra REFORMA DA PREVIDÊNCIA. COBRAPOL presente.

  1. Boa Tarde Sr. Presidente do Cobrapol.

    Excelente a participação da Cobrapol na Reforma da Previdenciaria, atualmente existe um procedimento de grande importância em tramitação no STF., a ADIN 5039/RO., qual em maio de 2018 teve apenas o voto do ministro Edson Fachin, sendo repassado para o ministro Alexandre para vistas, perdurando desde aquela data para ser julgado somente agora em 10/04/19, resultando sem inicio e, sem votos de nenhum ministro; seria oportuno saber a data da remarcação deste julgamento, pois ha em torno de 270 Policiais Civis em Santa Catarina desaposentados no mês de novembro/18, do qual faço parte, por conta das EC. 41/03 e, 47/05, quais conforme a LCF. 51/85 e, 144/14, obtivemos os nossos direitos a este beneficio, bem como os Policiais Civis do estado do Rio Grande do Sul que estão no aguardo do respectivo julgamento para não serem desaposentados como ocorreu naquele estado catarinense, acredito que as entidades da confederação estão também nesta expectativa para um desfecho a obterem as suas aposentadorias.
    Muito obrigado pela compreensão e, que Deus ilumine a todos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.