Nota de Esclarecimento – COBRAPOL

Em atenção à imprensa e à sociedade, em virtude de notícias veiculadas sobre o protesto dos trabalhadores da Segurança Pública brasileira, realizado pela União dos Policiais do Brasil (UPB), a COBRAPOL, representante da categoria Policia Civil do Brasil vem esclarecer:

 

A manifestação realizada na Esplanada dos Ministérios contra a REFORMA DA PREVIDÊNCIA (PEC) 287/2016, democrática e pacífica, terminou em confusão no Salão Branco do Congresso Nacional, após as lideranças dos Policias Civis serem barrados na chapelaria do Congresso Nacional, quando iriam protocolar documento na Secretaria da Presidência da Câmara.

 

A Polícia Legislativa reagiu de modo irrefletido à solicitação dos representantes das entidades, impedindo os policiais ao ato comum de protocolar o documento que, em seu teor, exige o afastamento do deputado federal Artur Maia (PPS-BA), relator da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, por envolvimento eleitoral com entidades de previdência complementar privada.

 

Com o impedimento da entrada dos representantes das entidades, gerou-se a insatisfação dos manifestantes quando, então, os ânimos se exaltaram ao ponto de a Polícia Legislativa reagir contra os colegas policiais com bombas de efeito moral e spray de pimenta.

 

A Cobrapol é defensora do diálogo, peça fundamental do entendimento, e lamenta profundamente a ação desproporcional direcionada contra os manifestantes que lutam por seus direitos, fundamentais e legítimos, fato que gerou a crítica negativa de alguns setores da imprensa ao chamá-los de baderneiros.

 

Consideramos excessiva, equivocada e injusta, tanto a ação da Polícia Legislativa quanto a classificação pejorativa de parte da imprensa.

 

Em contrapartida, o fato demonstrou que a luta dos operadores da segurança publica tem o apoio da sociedade brasileira, que espera as soluções justas para os trabalhadores deste setor, pois somente assim terão condições de assegurar a devida assistência e proteção à população.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *