Deputados discutem suicídios de policiais no Brasil. COBRAPOL presente!

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado promoveu, hoje (30), na Câmara dos Deputados, audiência pública para discutir a problemática dos suicídios de policiais no Brasil.

A COBRAPOL acompanhou o evento através de seu presidente, André Luiz Gutierrez, e dos diretores Evandro Baroto e Ênio Nascimento, pois a categoria dos policiais civis também é vítima da incidência de suicídios no país.

O deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), que pediu a realização do debate, constatou um alto índice de transtornos mentais que servem como gatilho para o suicídio. “A saúde mental é pilar na estrutura humana e tem que ser zelada e fomentada aos profissionais de segurança pública, que passam por inúmeras situações de risco”, argumentou.

Segundo o parlamentar, as políticas de segurança pública não incluem a saúde mental dos agentes e militares. “O investimento muitas vezes é só material, na compra de viaturas e na construção de quartéis e delegacias.”

Neto afirma ainda que alguns estudos realizados pelo Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção (GEPeSP) mostram que 80% dos policiais não se sentem reconhecidos pela sociedade nem pelos seus superiores. “Os governantes e parte da sociedade, não enxergam o policial como ser humano, por isso ele se sente cada vez mais descartável e adoentado”, afirma.

De acordo com a 13ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, no ano passado, 104 policiais cometeram suicídio – número maior do que o de policias mortos durante o horário de trabalho (87 casos) no confronto com o crime.

Gutierrez informou, na ocasião, que “a COBRAPOL já apresentou subsídios sobre esse tema que muito nos preocupa, pois nossa atividade profissional é reconhecidamente de elevado risco num país onde os índices de violência são ainda muito elevados, provocando toda sorte de transtornos para nossos policiais”.

O dirigente acrescentou que “vamos continuar muito vigilantes na luta por uma política pública de efetiva prevenção desses incidentes que subtraem a vida de nossos trabalhadores que colocam suas vidas a serviço da segurança pública do país”.

Gutierrez, acompanhado por Baroto (na fileira de trás) e dos dirigentes da FENAGUARDAS, Evandro Fucítalo e Luis Vecchi

Nesta foto, na fileira de trás, o dirigente da COBRAPOL e vice-presidente da FEIPOL-NORDESTE, Ênio Nascimento

Fonte: Comunicação COBRAPOL, com informações da Agência CÂMARA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *