Confederações repudiam MP do custeio e reforma da Previdência

LIDERANÇAS SINDICAIS VÃO REFORÇAR AS MANIFESTAÇÕES DO DIA 22 CONTRA O DESMONTE DAS APOSENTADORIAS, FARÃO UMA FORÇA-TAREFA JUNTO AOS PARLAMENTARES E APRESENTARÃO UMA DENÚNCIA DE PRÁTICA ANTISSINDICAL NA OIT CONTRA GOVERNO BRASILEIRO PELA EDIÇÃO DA MP 873

 

Os presidentes das Confederações que compõem o Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST) reuniram-se nesta quarta (13), na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura (CNTEEC), em Brasília, para debater as ações de resistência à Medida Provisória 873, referente ao custeio sindical, e a proposta de reforma da Previdência.

Com presença expressiva, a reunião consolidou a posição contrária do FST àquelas matérias. Para os dirigentes, o governo precisa reconhecer as entidades sindicais como parte de sustentação da democracia. “Vamos ocupar mais espaços, mostrar a nossa importância e ampliar nosso campo de trabalho. Não vamos aceitar que se governe por medidas provisórias, enfatizou o coordenador do FST, Oswaldo Augusto de Barros.

Os sindicalistas afirmaram que os ataques nada mais são do que uma tática do governo para enfraquecer o movimento e favorecer os mais poderosos, especialmente os grande capital. “Os ataques são duros, mas nós vamos ao combate. O momento é de união, agora não tem cor de bandeira, precisamos nos apoiar e reagir ao que está se fazendo com o País”,  disse Barros.

COBRAPOL PRESENTE – A COBRAPOL, que integra o FST, foi representada no encontro pelo seu presidente André Luiz Gutierrez que, na ocasião, apoiou as decisões do colegiado e fez uma narrativa da luta da entidade pela defesa da aposentadoria diferenciada para os policiais civis e todos os demais profissionais de segurança, em razão da atividade de risco que exercem.

A COBRAPOL fará, juntamente com as demais organizações que compõem a União dos Policiais do Brasil (UPB), da mesma forma que o FST, denúncia do governo brasileiro na Organização Internacional do Trabalho (OIT) por prática antissindical, em razão da edição da MP 873/19. Essa denúncia será feita através da Organização Internacional dos Policiais dos Países de Língua Portuguesa à qual a COBRAPOL é filiada, entre outras  organizações brasileiros

“Mais do que nunca é o momento de unir todas as forças do movimento sindical e social para defender os direitos e conquistas, não permitindo retrocessos e assegurando a sobrevivência de nossas organizações, pois elas existem, fundamentalmente, para atender nossos trabalhadores em suas justas e legítimas reivindicações”, afirmou Gutierrez.

Dentre as ações de enfrentamento, para a próxima semana será intensificado o trabalho com os parlamentares no Congresso para devolução da MP 873, por não preenchimento dos requisitos constitucionais pertinentes. Quanto à Proposta de Emenda Constitucional sobre a reforma da Previdência, as Confederações vão intensificar a apresentação dos aspectos prejudiciais da PEC 6/2019 para os trabalhadores.

Fonte: Comunicação COBRAPOL/FST

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.