COBRAPOL ABRE CONGRESSO EXTRAORDIÁRIO EM CLIMA DE UNIDADE E DISPOSIÇÃO DE LUTA

A COBRAPOL fez a abertura de seu Congresso Extraordinário, hoje (26), pela manhã, no Clube Agepol, em Brasília, sob clima de unidade e disposição de luta. Presentes os representantes de todas as federações filiadas, do Bloco (entidades não filiadas às federações) e sindicatos de todo país.

Coube ao presidente da Confederação, André Luiz Gutierrez, fazer a abertura oficial do evento com a execução do Hino Nacional e a composição da mesa dos trabalhos iniciais com a presença dos presidentes de todas as federações, do deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL-RS) e do representante da Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF), Júlio César.

O deputado Sanderson foi o primeiro a discursar, ocasião em que desejou “sucesso na realização de tão importante evento” e colocou-se “à disposição em seu gabinete na Câmara dos Deputados para defender as reivindicações dos trabalhadores policiais civis”. O parlamentar, que é policial federal e tomará posse no dia 1º de fevereiro, ressaltou as causas comuns dos policiais brasileiros e destacou a importância de assegurar uma aposentadoria diferenciada para os mesmos, “com integralidade e paridade”.

O representante da FENAPEF, Júlio Cesar, que substituirá o deputado Sanderson no comando do Sindicato da categoria no Rio Grande do Sul, ressaltou “as lutas comuns dos policiais brasileiros, como as questões que envolvem o Ciclo Completo e a Carreira Única, pois o atual modelo não se sustenta mais”, e destacou a necessidade de “unificarmos o discurso sobre os caminhos a serem trilhados”.

Marcilene Lucena, presidente da FEIPOL-CENTRO-OESTE E NORTE, saudou todos os presentes e afirmou que o Congresso Extraordinário deve servir para que “nossa categoria seja compreendida e atendida em suas justas reivindicações”. Itamir Lima, presidente da FEIPOL-NORTE, na sequência, denunciou que “alguns enquanto pensam em retirar direitos, como nossa aposentadoria diferenciada, concedem o perdão de dívidas milionárias a grandes grupos econômicos, como bancos por exemplo” O dirigente acrescentou que “sem corporativismos, devemos defender nossas causas porque é o melhor para a sociedade”.

O presidente da FEIPOL-SUL, Emerson Ayres, ressaltou “a necessidade de sairmos desse Congresso Extraordinário mais fortalecidos para que tenhamos sucesso em nossas importantes lutas”. Alex Galvão, dirigente do SINPOL-DF e representante do Bloco, falou da “importância de realizarmos as reformas estruturantes, pois apenas elas serão capazes de resolver de fato os problemas que enfrentamos hoje na segurança pública do país”, e acrescentou que “devemos cobrar soluções principalmente daqueles que em grande número foram eleitos com a bandeira da segurança nas últimas eleições”.

Aparecido Carvalho, presidente da FEIPOL-SUDESTE, defendeu “a aposentadoria diferenciada dos policiais, com uma regra de transição clara que não cometa injustiças e retrocessos em nossas conquistas” e “um novo modelo de segurança pública que possa atender os anseios de todos os segmentos policiais do país”. Já o presidente da FEIPOL-NORDESTE, Constantino Júnior, convidou a todos para participar do 5º CONFEIPOL do Nordeste, que acontecerá em Recife (PE), entre os dias 5 e 8 de fevereiro, denunciou “as perseguições política que atualmente acontecem em Pernambuco e em outros estados da Federação contra dirigentes sindicais que lutam pela sua categoria” e combateu o que chamou de “sucateamento da Polícia Civil”, pois, entre outros motivos, “o atual modelo policial não funciona”.

Gutierrez encerrou os trabalhos de abertura do Congresso agradecendo a presença dos convidados e de todos os presentes, representantes dos sindicatos e federações, destacando “a importância dos temas a serem tratados durante os dois dias de trabalho, pois todas as discussões terão o objetivo de resgatar o relevante papel do policial brasileiro, especialmente aqueles que representamos, os policiais civis, no sentido, sempre, de valorizá-los, pois sua valorização representará o fortalecimento da instituição Polícia Civil e dos profissionais de segurança que devem proteger o cidadão e a sociedade”. E finalizou: “vamos debater cada um dos temas com a mente aberta, exatamente para chegar aos melhores resultados para nossos trabalhadores e para o país como um todo”.

CONGRESSO – Hoje (26), durante todo o dia, serão apresentados e debatidos os relatórios dos quatro grupos temáticos que foram constituídos: Lei Orgânica Nacional, Ciclo Completo (CPP), Unificação das Polícias e Reforma da Previdência. O Congresso Extraordinário da COBRAPOL prossegue amanhã, domingo (27), ao longo de todo dia.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

Gutierrez faz a abertura oficial do Congresso

A plenária do Congresso Extraordinário

O deputado Sanderson faz uso da palavra

Um comentário em “COBRAPOL ABRE CONGRESSO EXTRAORDIÁRIO EM CLIMA DE UNIDADE E DISPOSIÇÃO DE LUTA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.