Centrais se reúnem com novo presidente do TST

A semana começou com as centrais sindicais reunidas, juntamente com João Batista Brito Pereira (foto), no intuito de parabenizar o ministro recém-empossado para o cargo de presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), além de tratar de questões trabalhistas.

Durante toda audiência, os representantes das centrais, seguiram unificados, no sentido de apelarem junto ao presidente, para que fossem analisados com simpatia os processos e ADIN’s (Ações Diretas de Inconstitucionalidade), que dizem respeito à “reforma” trabalhista e o custeio sindical. “Precarizaram as relações de trabalho, e o único custeio que tínhamos, deram jeito de tirar”, analisou o presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), José Calixto Ramos.

Ainda de acordo com o presidente da NCST, as centrais sindicais já estão tendo que demitir alguns de seus funcionários por conta da preocupação de não terem mais recolhido o recurso sindical.

Todos fizeram coro, reforçando sobre questões trabalhistas e sindicais, e que certamente terão caminhos morosos junto à justiça brasileira.

Diante das dificuldades vivenciadas pelas centrais sindicais, o governo federal,  e parte      do  Congresso Nacional, acabaram praticando uma crueldade com os trabalhadores. Podemos citar um exemplo desse desmonte orquestrado, com a inclusão de um ítem no projeto que trata da “reforma” trabalhista, em que menciona sobre a autorização previamente expressa da contribuição sindical”, encerrou Calixto.

 

Na dúvida, o que vale é a Constituição, afirmou ministro

Em seu discurso dia 26, o novo presidente do TST fez questão de frisar que os poderes da República são independentes e avisou que, sob seu comando, disposições contrárias à Constituição não serão consideradas. “Se estiver em conflito com a Constituição, prevalece o texto constitucional”, disse.

Brito Pereira assumiu a presidência do Tribunal no lugar de Ives Gandra Martins Filho, que deixa o cargo com uma marca de alinhamento ao mercado. Com origem no Ministério Público do Trabalho e histórico de advogado trabalhista militante, a escolha do novo presidentefoi saudada com otimismo pelas lideranças sindicais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *