Centrais definem ações unitárias em favor da Previdência pública

As Centrais Sindicais definiram nesta na última semana, na sede do Dieese, em São Paulo, uma série de ações de comunicação e um calendário de mobilizações contra o fim da Previdência Pública. Os sindicalistas também debateram os principais impactos da proposta de reforma do sistema de aposentadorias apresentada pelo governo.

Participaram do encontro no Dieese, em São Paulo, representantes da CUT, Força Sindical, CTB, UGT, Nova Central, CSB, CSP-Conlutas, CGTB e Intersindical.

Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Dieese, fez uma exposição sobre os principais impactos da PEC 6/2019. Ele alertou que a desconstitucionalização da Previdência, ou seja, a remeter para lei complementar a definição dos regimes previdenciários, “é um cheque em branco para o governo avançar rumo ao sistema de capitalização e a privatização”.

Ações – Além de reforçar a presença do tema nas manifestações do 8 de março, pelo menos mais duas datas para a realização de protestos ficaram definidas. O Dia Nacional de Lutas, em 22 de março; e um ato em frente à Superintendência do INSS em São Paulo, dia 29 de março, com passeata

Dieese – O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos informou a publicação de uma Nota Técnica. Mais três textos serão lançados na semana que vem, com detalhamentos sobre PEC do governo.

Está sendo providenciado, também, um aplicativo, chamado de ‘Aposentômetro”, que compara como é hoje e com ficará a aposentadoria caso a reforma seja aprovada.

Fonte: Agência Sindical

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.