COBRAPOL SOLICITA AO MINISTRO DA SAÚDE INCLUSÃO DOS POLICIAIS CIVIS NO PRIMEIRO GRUPO DA POPULAÇÃO A RECEBER A VACINA CONTRA A COVID-19

A COBRAPOL, através do presidente André Luiz Gutierrez, encaminhou nesta sexta-feira (3), expediente ao ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, em que solicita “a inclusão dos profissionais de segurança pública no primeiro grupo populacional a ser contemplado pela vacinação prevista contra a COVID-19, além dos demais segmentos já relacionados como os profissionais de saúde, indígenas e idosos”.

A Confederação, no encaminhamento do pleito, como “única e legítima entidade representativa dos trabalhadores policiais civis, à qual estão filiadas cinco federações regionais e dezenas de sindicatos espalhados por todo país”, ressalta que “ao lado dos demais profissionais da segurança e da saúde pública, estivemos e ainda estamos na linha de frente no combate à pandemia e aos seus efeitos perversos à vida dos brasileiros”.

 “Ainda não dispomos de dados consolidados sobre o número de profissionais de segurança afetados pelo Coronavírus e o quantitativo que veio a óbito, mas podemos afirmar, com toda convicção, de que representa um universo bastante considerável, em razão das condições precárias com que, invariavelmente, desempenham atividades laborais”, argumenta o documento da COBRAPOL encaminhado ao ministro.

Segundo Gutierrez, “nossa iniciativa vem se somar a de outros setores da segurança pública nacional que representam valorosos profissionais que não puderam interromper suas atividades e continuam batalhando na defesa da segurança da sociedade, apesar dos riscos que a pandemia, infelizmente, ainda oferece”.

Ainda de acordo com o dirigente, “o mais grave é que continuamos em atividade, mesmo em situações bastante adversas, pois o fato é que, de modo geral, encontramos uma instituição muito sucateada que, muitas vezes, não oferece, sequer, as condições mínimas de prevenção para o desempenho profissional em meio à maior pandemia que já atingiu nosso país”.

E concluiu: “por todas essas razões, esperamos que o ministro seja sensível ao nosso pleito, por uma questão, acima de tudo, de justiça”.

Clique abaixo e conheça a íntegra do expediente

Fonte: Comunicação COBRAPOL

EM CONGRESSO COM GRANDE REPRESENTATIVIDADE, COBRAPOL INICIA DEBATE DA LONPC

Discussão será concluída em dezembro na continuidade do Congresso Extraordinário

Após dois dias de intenso debate, os participantes do Congresso Extraordinário da COBRAPOL decidiram na noite deste sábado (7), por unanimidade, a continuidade das deliberações sobre a proposta de Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil (LONPC), a partir do texto discutido com a Adepol Brasil. Os presentes apreciaram o texto até o artigo 11º. O Congresso terá continuidade nos dias 11 e 12 de dezembro deste ano, e, se necessário, 13, também.

Ficou decidido, ainda, que todas as regiões devem discutir propostas de emenda ao texto, a partir do artigo 12º, até o dia 30 de novembro, com a presença do vice-presidentes regionais da COBRAPOL e dos presidentes das Federações filiadas. Tais propostas deverão ser encaminhadas à Confederação na sequência para que sejam submetidas ao Congresso que será reiniciado dia 11 de dezembro.

O evento, que iniciou-se na sexta-feira (6), no Clube da Agepol, Brasília (DF), contou com representantes de praticamente todos os Estados. Dezenas de lideranças dos Sindicatos e Federações filiadas à Confederação participaram ativamente dos debates e apresentaram emendas ao texto discutido até o artigo 11º.

Segundo o presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, “o Congresso cumpriu sua finalidade inicial e demonstrou o espírito construtivo dos que dele participaram, além de uma grande representatividade”, acrescentando que “até dezembro concluiremos essa discussão da Lei Orgânica que é vital para superar as distorções hoje existentes na instituição, valorizar os profissionais da Polícia Civil e, consequentemente, fortalecer as ações da segurança pública nacional”.

Gutierrez lembrou que, “a partir do texto final que concluiremos na continuidade do Congresso em dezembro, buscaremos novos entendimentos com a Adepol Brasil para, na sequência, encaminhar uma proposta ao Ministério da Justiça, através da SENASP, de modo que tenhamos uma nova legislação, mais moderna e que represente um passo à frente no aperfeiçoamento da Polícia Civil enquanto instituição fundamental na estrutura da segurança pública do país”. E finalizou: “a partir dessa proposta, esperamos e vamos lutar para que o Congresso Nacional aprove a matéria o mais urgentemente possível”.

O CONGRESSO – O Congresso Extraordinário da COBRAPOL teve início com uma solenidade de abertura que contou com uma saudação inicial do presidente André Luiz Gutirrez e de todos os presidentes das Federações filiadas: Marcio Pino (FEIPOL Sudeste), Marcilene Lucena (FEIPOL Centro-Norte), Ênio Nascimento (FEIPOL Nordeste) e Emerson Ayres (FEIPOL SUL). O presidente da FEPOL Norte, Itamir Lima, membro da Comissão dos trabalhos da COBRAPOL, foi encarregado de fazer a apresentação da proposta de LONPOC discutida com a Adepol Brasil.

RATIFICAÇÃO DE DECISÃO DO CONGRESSO DE BELÉM E SEDE PRÓPRIA – Além da discussão da LONPC, o Congresso Extraordinário da COBRAPOL aprovou por unanimidade autorização para a diretoria da entidade proceder a aquisição de sede própria administrativa em Brasília, nas condições apresentadas pelo presidente, e decidiu, também por unanimidade, ratificar decisão do Congresso Extraordinário de Belém  para respaldar a ação judicial de prestação de contas de gestão de ex-presidente da entidade, bem como autorizar ação de cobrança de valores auditados.

PALESTRAS – Aline Risi, diretora de Comunicação da COBRAPOL, juntamente com demais dirigentes da categoria em Minas Gerais, Bruno Viegas, Marcelo Horta e Wemerson Oliveira, proferiu palestra sobre o tema Desburocratização do Cartório. Os presentes conheceram e discutiram a proposta em debate em Minas para promover o avanço no desenvolvimento tecnológico dos processos de investigação criminal. Já Aline Cavalcante, diretora da COBRAPOL e, integrante da Polícia Civil do Rio de Janeiro, ministrou palestra no Congresso Extraordinário da COBRAPOL versando sobre o tema ‘A experiência empírica da unificação’.

 SOLIDARIEDADE À PARAÍBA – Os presentes ao Congresso Extraordinário da COBRAPOL, ao final do evento, também aprovaram por unanimidade Moção de Solidariedade ao Sindicato e à luta dos Policiais Civis da Paraíba na defesa de seus direitos diante da postura hostil do governo daquele Estado.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA RECEBE COBRAPOL PARA DEBATER LEI ORGÂNICA

Representantes da COBRAPOL foram recebidos nesta sexta-feira (4) pelo secretário-executivo do Ministério da Justiça, Tercio Tocano, ocasião em que a entidade apresentou o projeto de Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil (LONPC), com ênfase na questão do Ciclo Completo e da Carreira Única.

Segundo o diretor para Assuntos Ministeriais da COBRAPOL, Evandro Baroto, presente ao encontro, “o secretário entendeu as preocupações dos policiais civis e também a importância de, ainda este ano, o governo encaminhar uma proposta ao Congresso Nacional que seja capaz de promover o aperfeiçoamento da instituição pela valorização de seus profissionais”.

A COBRAPOL, através do presidente André Luiz Gutierrez e outros dirigentes da entidade, participou recentemente de outros encontros na Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) para tratar da proposta de Lei Orgânica, quando houve o entendimento da busca de uma proposta de consenso entre as várias partes interessadas na matéria para que seja possível o encaminhamento pelo governo de um projeto ainda este ano ao Legislativo e sua respectiva aprovação.

Além de Baroto, representaram a Confederação na reunião no Ministério da Justiça os seguintes dirigentes: Itamir Lima (representante da FEIPOL-Norte), Ênio Nascimento (diretor de Assuntos Internacionais e representante da FEIPOL-Nordeste), Marcilene Lucena (vice-presidente regional do Centro Oeste e presidente da FEIPOL-CON) e Marcus Monteiro (dirigente da FEIPOL-CON) (na foto, com o secretário Tercio Tocano).

Fonte: Comunicação COBRAPOL

MAIA RECEBE ENTIDADES DOS PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA PÚBLICA

Na pauta, a reforma administrativa do governo. COBRAPOL presente!

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu, na noite desta quinta-feira (3), em sua residência oficial, em Brasília, representantes das entidades vinculadas às forças de segurança pública do país – Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal para tratar da repercussão da proposta de reforma administrativa enviada pelo governo ao Congresso Nacional nessas categorias.

A COBRAPOL foi representada no encontro pelos seguintes dirigentes: Evandro Baroto (diretor de Assuntos Ministeriais), Ênio Nascimento (diretor de Assuntos Internacionais e representante da FEIPOL-Nordeste), Itamir Lima (representante da FEIPOL-Norte), Alex Galvão (2º vice-presidente), Marcilene Lucena (vice-presidente regional do Centro Oeste e presidente da FEIPOL-CON) e Marcus Monteiro (dirigente da FEIPOL-CON).

O evento foi articulado pelo deputado Alan Rick (DEM-AC) e contou, ainda, com a presença, deputados Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara dos Deputados, e Luís MIRANDA (DEM-DF).

Os representantes das entidades foram unânimes em apresentar ao presidente da Câmara a preocupação quanto aos efeitos da proposta de reforma administrativa na fase de acesso dos profissionais às suas respectivas corporações. Segundo a proposta governista, o estágio probatório será uma das fases do concurso público, transformado no texto em “vínculo de experiência”, e, só após esse período, os mais bem avaliados serão efetivados de acordo com as demandas de pessoal. Essa nova configuração representaria uma reestruturação muito nebulosa para as categorias profissionais da segurança pública.

Além da COBRAPOL, estavam presentes na reunião com Maia representantes da Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) e da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF).

Fonte: Comunicação COBRAPOL

COBRAPOL COMEMORA ‘VITÓRIA’ DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO STF

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, comemorou como “uma importante vitória a decisão do Supremo Tribunal Federal que entendeu que não se pode mudar a previsão na Constituição para permitir a redução nos salários dos servidores públicos”.

Segundo Gutierrez, “a COBRAPOL e demais entidades representativas do funcionalismo público participaram ativamente das ações judiciais com o objetivo de não permitir a redução salarial mesmo em período de pandemia, pois é exatamente nesse momento que as pessoas mais precisam de apoio para enfrentar a crise”.

A maioria dos ministros seguiu o entendimento de que a redução temporária da jornada de trabalho e dos salários fere o princípio constitucional de irredutibilidade, contrariando a demanda de estados e municípios que ultrapassam o limite legal. A redução salarial temporária consta na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), mas está suspensa desde 2002 pela possibilidade de ferir a Constituição.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

Sirejun e Cobrapol alinhados nas demandas estaduais e nacionais

Durante jantar, na noite desta quarta-feira (19), o presidente do Sindicato dos Policiais Civis da região de Jundiaí e Bragança Paulista – Sirejun, Cesar Wanderley Gava, reafirmou a parceria com a Confederação Brasileira de Trabalhadores de Policiais Civis – Cobrapol para atuar nas demandas estaduais e nacionais da categoria.

“Entidades participativas como o Sirejun sempre terão o apoio e a parceria da Cobrapol”, afirma o presidente da Cobrapol.

O presidente da Federação Interestadual dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste – Feipol/Sudeste, Aparecido Lima de Carvalho (Kiko) e o vereador e também Policial Civil, Antonio Carlos Albino (PL/SP) também participaram do jantar que ocorreu em Jundiaí.

Acompanhe os últimos destaques em nossa TV COBRAPOL.

A maior campanha de doação de sangue do Brasil!

Hemocentros, bancos de sangue e hospitais de todo Brasil serão palcos, no dia 19 de fevereiro, de uma mobilização nacional para doação de sangue, onde policiais civis ativos e aposentados farão este gesto de solidariedade a fim de mostrar à sociedade o valor destes profissionais da segurança pública, que arriscam sua vida no trabalho e fora dele. Eles doarão ainda mais seu sangue por todos, pois os policiais civis doam sua VIDA todos os dias em todos os estados do país.

O movimento que é organizado pela Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis – COBRAPOL, e tem por objetivo manifestar a luta pela reconstitucionalização das garantias previdenciárias dos Policiais Civis do Brasil, na PEC 133 (a paralela), em trâmite na Câmara dos Deputados.

Os policiais civis estão na luta por uma aposentadoria justa e uma pensão digna aos seus familiares, buscando isonomia com os militares, pois o criminoso não escolhe a farda do policial militar nem o distintivo do policial civil. Ambos, sofrem os mesmos riscos diariamente.

Chegou a hora da Polícia Civil do Brasil mostrar a sua força!!!
Divulgue nosso canal para que possa chegar à todos os Policias Civis do Brasil.

#LuteAgoraOuMorraTrabalhando
#CrimeNãoEscolheFardaNemDistintivo

Veja nosso vídeo desta campanha!