Gabinete integrado se reúne com bancada de Segurança Pública

O Presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) e o diretor institucional e intersindical do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Rio Grande do Sul (Sinpol/RS), Antonio Santos da Rosa Neto, participaram nesta terça-feira (18), de reunião do Gabinete Integrado das Forças de Segurança Pública, na sede do Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (Sindipol/DF), em Brasília (DF).

A reunião foi marcada com parlamentares que representam as forças de segurança no Congresso Nacional, para definir pauta legislativa para 2020 e tentar unificar as propostas das diversas categorias sobre as pautas comuns da segurança pública, além de fortalecer a posição do grupo no Congresso Nacional.

Os integrantes do Gabinete Integrado das Forças de Segurança Pública planejaram o calendário de ações no Legislativo. Entre os assuntos discutidos, foi citada a questão do Ciclo completo, bem como a PEC 76 que trata da perícia criminal e as leis orgânicas na carreira policial com entrada única nas polícias.

Para o presidente da Cobrapol, “a regularidade das reuniões é de suma importância para que haja continuidade nas discussões e manutenção do grupo focado e unido na segurança pública e em fortalecer as instituições”.

Gabinete Integrado das Forças de Segurança Pública

Desde 2014, o gabinete integrado se reúne para debater o aprimoramento e a modernização da segurança pública no Brasil. Integram o grupo a Cobrapol, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), o Conselho Nacional de Comandantes Gerais (CNCG), a Associação Nacional de Praças (Anaspra), a Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais (Feneme), a Associação Brasileira de Criminalística (ABC), a Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), o Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (LigaBom), a Associação dos Militares Estaduais do Brasil (AmeBrasil), a Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef).

Após a reunião, o presidente da COBRAPOL André Luiz Gutierrez, fala um pouco sobre os avanços nos diálogos com as forças de segurança pública. Veja o vídeo:

COBRAPOL E CONACATE, JUNTOS, EM DEFESA DO SERVIDOR PÚBLICO!

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, encontrou-se nesta quarta-feira (12) com o presidente da Confederação Nacional das Carreiras e Atividades Típicas de Estado, Antônio Carlos Fernandes Lima Jr, no recinto do Congresso Nacional (na foto, com outros dirigentes da Confederação), ocasião em que os dois dirigentes debateram temas de interesse dos servidores públicos em geral.

Do encontro, os presidentes reafirmaram o compromisso das entidades de atuarem em conjunto na defesa das reivindicações dos servidores públicos, entre as quais se destacam a luta pela aposentadoria policial dos profissionais civis da segurança pública e dos servidores em geral, e a ação comum contra a supressão de direitos do servidor na proposta de Reforma Administrativa que poderá tramitar no Legislativo este ano.

Segundo Gutierrez, “a COBRAPOL e a CONACATE são entidades nacionais que têm muito em comum, razão pela qual decidiram ombrear-se em torno das justas e legítimas causas dos servidores públicos do país, entre os quais destacamos as de nossa valorosa categoria dos policiais civis”.

Tanto a COBRAPOL quanto a CONACATE emitiram esta semana notas públicas que rechaçaram a declaração do ministro Paulo Guedes segundo a qual os servidores são “parasitas”.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

 

Acompanhe nosso canal no youtube!

POSSE DA NOVA DIREÇÃO DO SINPOL-SOROCABA. COBRAPOL PRESENTE!

Aparecido de Carvalho (Kiko), Cidinha Queiroz e André Luiz Gutierrez

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, participou, no último dia 8 de fevereiro, da posse da Diretoria do SINPOL do município de Sorocaba (SP), sob a presidência de Cidinha Queiroz, para o quinquênio 2020/2025.

Na ocasião, a presidente da entidade fez um retrospecto das atividades desenvolvidas pelo Sindicato, desde 1994, quando passou a atuar na atividade sindical, destacando o papel dos filiados no êxito das lutas que foram travadas desde então.

Cidinha Queiroz lembrou as inúmeras ações sindicais que resultaram em ganhos para a categoria, bem como os serviços prestados através de convênios na área da saúde e da educação. E, ao fazer referência à Confederação, afirmou que estava honrada “com a presença da COBRAPOL através de seu presidente, Gutierrez”, acrescentando que “reafirmamos o compromisso de participar das lutas em Brasília, ombreados com a Confederação, em defesa dos policiais civis”.

Já o presidente da COBRAPOL, que deu posse à presidente e aos demais membros da Diretoria, Conselho Fiscal e Delegados Federativos, afirmou agradeceu pela oportunidade, cumprimentou os novos mandatários, em especial, a presidente Cidinha Queiroz, e conclamou a todos “a se unirem em torno da COBRAPOL e das causas da valorosa categoria dos policiais civis”.
Aparecido de Carvalho, o Kiko, presidente da FEIPOL-SUDESTE, também presente ao evento, reforçou as palavras de Gutierrez, desejou pleno êxito nos trabalhos da nova direção do SINPOL-Sorocaba e colocou a Federação à disposição da entidade, bem como o SINPOL-Campinas.

Fonte: Comunicação COBRAPOL,
com informações do SINPOL-Sorocaba

Guedes, o verdadeiro parasita do grande capital!

O ministro Paulo Guedes, do alto de sua arrogância e pedantismo, acusou policiais, professores, médicos, bombeiros, assistentes sociais, enfermeiros, defensores públicos e todos os demais servidores públicos do país de parasitas.

Em evento realizado no Rio, nesta sexta (7), no qual novamente defendeu a redução dos serviços públicos essenciais ofertados à população, afirmou: “O hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita”, E, sem a menor cerimônia, mentiu solenemente ao afirmar que os funcionários públicos tiveram um aumento de 50% acima inflação.

Ao contrário do que disse, em 2019, o governo federal recusou-se a pagar até mesmo as perdas provocadas pela inflação, o que levou algumas organizações sindicais a recorrerem até mesmo ao Supremo Tribunal Federal (STF) para conseguir esse direito.

Trata-se, portanto, de um ataque cínico e mentiroso aos servidores públicos do país, entre os quais se encontram nossos valorosos policiais civis e demais profissionais da segurança pública, tratados, infelizmente, em muitos estados da federação, da mesma forma preconceituosa e discriminatória.

É importante que se diga que estamos diante de um agente do mercado financeiro e do grande capital, sempre disposto a atacar os direitos dos trabalhadores e, agora, cinicamente, jogar a culpa da situação do país nos servidores públicos e naquilo que ele chama de “privilégios”.

Privilegiado e parasita é o capital financeiro que nunca lucrou tanto nesses últimos anos usufruindo lucros bilionários às custas do emprego dos trabalhadores, do aviltamento da renda e do estrangulamento do setor produtivo nacional.

Privilegiados e parasitas são os políticos que, infelizmente, estão a serviço dos barões do grande capital.

Privilegiados e parasitas são os que se utilizam de elevados cargos públicos para atacar direitos consagrados historicamente, como estão fazendo com a aposentadoria dos brasileiros, inclusive dos policiais.

O hospedeiro, é verdade, está doente, mas a doença é fruto, acima de tudo, de muitas decisões do próprio ministro Guedes que agravam o quadro já crítico da economia, ameaçam brutalmente a soberania do país e promovem o retrocesso sem precedentes em direitos e conquistas sociais.

Perguntamos, que moral tem um ministro que foi alvo de inúmeras denúncias de golpe em fundos de pensão para assacar essa assertiva contra os servidores públicos do país? Ele, sim, é um parasita do grande capital e desses fundos especulativos que insistem em destruir o Estado Nacional e, com ele, os serviços públicos essenciais de segurança, educação e saúde, dentre outros, tão indispensáveis à população mais pobre e necessitada.

A COBRAPOL e suas entidades filiadas, ao lado das demais organizações, rechaçam essa agressão gratuita aos milhões de brasileiros que, diuturnamente, constroem o desenvolvimento e bem-estar do país, apesar dos parasitas de plantão que, reincidentemente, elegem o servidor público como bode expiatório de seus fracassos e mazelas!

ANDRÉ LUIZ GUTIERREZ
Presidente COBRAPOL

 

Acompanhe os vídeos do nosso canal:

POLICIAIS CIVIS OCUPAM AS RUAS DO PAÍS EM DEFESA DA APOSENTADORIA POLICIAL

Sob a coordenação nacional da COBRAPOL, policiais civis de vários estados do país, liderados pelos seus respectivos Sindicatos e Federações (estaduais e regionais), realizaram manifestações em defesa da aposentadoria policial e em protesto contra reformas previdenciárias em andamento, e, até mesmo, aprovadas, em algumas unidades da federação que promovem retrocessos nos benefícios da categoria, bem como de outros segmentos do serviço público.

Foram registrados, até o momento, atos no Acre, Amazonas, Bahia, Pará, Tocantins, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Os policiais civis defendem o direito à aposentadoria dentro do princípio da isonomia com os policiais militares, assegurada a integralidade e a paridade na concessão dos benefícios.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Todas as manifestações também respaldaram decisão da COBRAPOL de lutar, na Câmara dos Deputados, pela aprovação na votação da PEC 133/2019 (PEC Paralela da Previdência) de uma garantia constitucional para que seja dispensado aos policiais civis o mesmo tratamento hoje assegurado aos policiais militares, inclusive uma condição fundamental para que reformas estaduais não ameacem a aposentadoria policial, como hoje acontece em vários estados.

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, participou da manifestação que ocorreu em Salvador (BA), ocasião em que se somou aos policiais civis e demais profissionais de segurança que ocuparam as ruas da capital baiana para defender a aposentadoria policial.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

Veja também ações, repercussão e resultados em outros canais de mídia:

https://sindpolalagoas.com.br/noticia/cobrapol-lanca-campanha-nacional-nas-redes-sociais-pela-isonomia-dos-direitos-previdenciarios-com-os-militares-participe/

https://www.sinpolsergipe.org.br/policiais-civis-decidem-paralisar-atividades-durante-24h-no-dia-19-de-fevereiro/

http://sinpolrn.org.br/policiais-civis-e-servidores-da-seguranca-fazem-ato-contra-a-reforma-da-previdencia/

https://ugeirmsindicato.com.br/ugeirm-exige-abertura-de-negociacao-para-recomposicao-salarial-na-policia-civil/

https://ugeirmsindicato.com.br/assembleia-aprova-plc509-que-trata-da-integralidade-e-da-paridade-na-aposentadoria-policial/

https://www.midiamax.com.br/cotidiano/2020/policiais-civis-manifestam-na-alms-em-busca-de-melhorias-na-reforma-da-previdencia/

Veja também outros vídeos em nosso canal TV COBRAPOL no YouTube.

COBRAPOL DENUNCIA VIOLÊNCIA E SE SOLIDARIZA COM A LUTA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA BAHIA!

A Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL) vem a público manifestar seu mais veemente repúdio à agressão sofrida pelos servidores públicos da Bahia, entre os quais diversos policiais civis, durante a realização de um ato político na Assembleia Legislativa daquele Estado, na última sexta-feira (31), em protesto contra a Reforma da Previdência (PEC 159), de autoria do governo estadual.

Além de policiais civis e suas lideranças sindicais, foram vítimas da agressão servidores do Poder Judiciário, professores, profissionais da saúde pública, policiais penais, entre outros que se manifestavam contra o teor da proposta que estava sendo votada pelos deputados estaduais. Integrantes da PM não pouparam o uso da violência e, até mesmo, de bombas e gás lacrimogênio.

Os servidores denunciaram, na ocasião, a ausência de diálogo com o governo Rui Costa e suas práticas rotineiras de perseguição aos servidores públicos, quando o poder público deveria, no mínimo, zelar pelo direito à livre manifestação e garantir a segurança do funcionalismo estadual, bem como não permitir retrocesso em seus direitos.

A COBRAPOL, ao lado de suas entidades filiadas do Estado da Bahia, além de solidarizar-se com os servidores estaduais, reafirma seu compromisso de intensificar a luta pelo sagrado direito dos policiais civis a uma aposentadoria justa, baseada no tratamento igualitário e isonômico ao dispensado à Polícia Militar, por uma questão de justiça e de direito.

Nesse sentido, nesta terça-feira (4), em todo país, manifestações estão programadas para acontecer nas assembleias legislativas em defesa da aposentadoria policial. Da mesma forma, serão intensificados os trabalhos junto aos deputados federais para assegurar, no texto da PEC 133/2019 (PEC Paralela da Previdência), a devida proteção constitucional para que os policiais civis e demais profissionais da segurança pública sejam tratados dentro do princípio da isonomia com os policiais militares e em respeito à integralidade e paridade de seus benefícios.

Essa garantia constitucional é absolutamente fundamental para que retrocessos como os que ocorrem na Bahia e em outros estados não sejam praticados contra direitos fundamentais de uma categoria essencial ao sistema de segurança pública do país!

Brasília, 3 de fevereiro de 2019

ANDRÉ LUIZ GUTIERREZ
Presidente

 

Veja mais sobre esse fato em nosso canal TV COBRAPOL no YouTube.

 

COBRAPOL: MOBILIZAÇÃO TOTAL NOS ESTADOS E EM BRASÍLIA PELA APOSENTADORIA POLICIAL

A COBRAPOL, através de seu presidente, André Luiz Gutierrez, após reunião em Brasília no último dia 15 de janeiro, que contou com a presença de lideranças da categoria de todo país, está promovendo uma grande mobilização em todo país em defesa da aposentadoria policial.

Os policiais civis, através de seus sindicatos e federações estaduais e regionais, estão sendo convocados a participar de manifestações nos Estados, na próxima terça-feira, 4 de fevereiro. O objetivo central dessas mobilizações é sensibilizar os parlamentares dos entes federativos sobre a importância da aposentadoria policial (isonomia com os policiais militares), com respeito aos princípios da paridade e integralidade, principalmente nos Estados onde está sendo discutida a mudança no sistema previdenciário, ou mesmo naqueles onde a reforma já aconteceu contrariando os interesses da categoria. Essas manifestações acontecerão, preferencialmente, nas assembleias legislativas estaduais.

A Confederação também está mobilizando suas lideranças para, entre os dias 10 e 14 de fevereiro, promoverem contatos com os deputados federais em Brasília, em razão da tramitação da PEC 133/2019 (PEC Paralela), já aprovada no Senado Federal e, hoje, em tramitação na Câmara dos Deputados. O foco desse trabalho será também a busca da isonomia com os policiais militares, a condenação de toda e qualquer discriminação e a defesa da constitucionalização da aposentadoria policial – segurança jurídica fundamental para evitar prejuízos nas reformas que estão sendo promovidas nos Estados.

Ainda no dia 19 de fevereiro, a COBRAPOL estará realizando uma mobilização nacional da categoria para a doação de sague nos hemocentros de todos os Estados com o objetivo de sensibilizar a sociedade para a importância da causa pela qual a entidade luta. A COBRAPOL informa, ainda, que outras datas poderão ser definidas de acordo com o calendário de tramitação da PEC 133.

Segundo Gutierrez, “essa luta não pertence apenas à nossa categoria, mas a todos profissionais de segurança e a toda sociedade, pois, eventuais retrocessos nos benefícios previdenciários representará um brutal desestímulo ao ingresso na carreira de novos policiais, assim como uma desvalorização dos que já se encontram no exercício de missão tão importante para a segurança da sociedade brasileira e do cidadão”.

Veja, na sequência, a convocação do presidente Gutierrez para a mobilização nacional

 

 

Fonte: Comunicação COBRAPOL

COBRAPOL, JUNTO COM UPB, NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EM DEFESA DA APOSENTADORIA POLICIAL

A COBRAPOL, através de seu 2º vice-presidente, Alex Galvão, integrou delegação da União dos Policiais do Brasil (UPB) que esteve reunida, hoje, com a Assessoria Especial do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira (foto).

O objetivo do encontro foi a discussão do parecer da Advocacia Geral da União (AGU) que garantirá a integralidade e paridade dos servidores policiais civis do Brasil, conforme acordo promovido durante a tramitação da reforma da Previdência, ainda em 2019.

A Assessoria do ministro confirmou a manutenção do posicionamento do governo nesse sentido, relatando que o parecer está sendo confeccionado com a maior celeridade possível. Ressaltou que tal ato será publicado no início do mês de fevereiro deste ano.

Segundo os dirigentes da UPB, que acompanha de perto as tratativas com as autoridades federais, há uma grande expectativa de que o governo federal cumpra o acordo com os profissionais da segurança pública, não permitindo qualquer discriminação.

            Alex Galvão, na ocasião, reiterou o posicionamento da COBRAPOL em defesa da isonomia da aposentadoria policial com os policiais militares e a defesa dos princípios da paridade e da integralidade.

Fonte: Comunicação COBRAPOL, com informações da UPB

COBRAPOL PRESENTE NA LUTA DOS POLICIAIS CIVIS DA PARAÍBA

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, participou esta semana, em João Pessoa (PB), de diversas atividades de mobilização em apoio à luta dos policiais civis e militares daquele Estado pela implantação do subsídio previsto em lei. As lideranças locais organizaram vários atos, inclusive de rua, em defesa da reivindicação da categoria na Paraíba.

Na ocasião, Gutierrez, juntamente com as lideranças locais da categoria (foto), reuniu-se com os deputados Efraim Filho (DEM-PB) e Luís Miranda (DEM-DF) para discutir o apoio desses parlamentares ao pleito da COBRAPOL em defesa da aposentadoria policial (isonomia com os militares) na discussão e votação da PEC 133/2019 (PEC Paralela), já aprovada no Senado Federal e, atualmente, em tramitação na Câmara dos Deputados.

Segundo Gutierrez, “os parlamentares se comprometeram a apoiar a justa reivindicação dos policiais civis, como de outros profissionais da segurança pública, assim como firmaram compromisso de lutar para que o seu partido, o DEM, também apoie de forma integral essa causa”.

“Não aceitamos qualquer tipo de discriminação, pois nossos policiais estão submetidos às mesmas atividades de risco que os militares e, por isso mesmo, os direitos devem ser os mesmos”, argumentou o dirigente da COBRAPOL.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

 

COBRAPOL ELABORA PLANEJAMENTO DAS AÇÕES PELA APOSENTADORIA POLICIAL

Após um amplo debate, com a participação de lideranças da Polícia Civil de todo país, integrantes das entidades filiadas (fotos), a COBRAPOL, reunida com a Comissão Encarregada da compilação dos pontos comuns dos projetos de reforma da Previdência, concluiu a elaboração de um planejamento estratégico com dois objetivos.

O primeiro envolve ações políticas com o propósito de sensibilizar os parlamentares para a defesa da aposentadoria policial na tramitação da PEC 133/2019, chamada PEC Paralela, já aprovada no Senado Federal e cuja tramitação se dará na Câmara dos Deputados a partir da retomada dos trabalhos legislativos. Estas ações serão executadas pelos diretores da COBRAPOL e respectivas entidades, conforme deliberado e aprovado.

E, o segundo, consiste na elaboração e discussão de Emenda parlamentar à referida PEC, a partir de um parecer jurídico, prevendo as mesmas garantias que os Policiais Militares tiveram na Lei de Proteção Social das PMs, o que na prática representa obediência ao principio da isonomia e também a dois pilares fundamentais pelos quais os Policiais Civis lutam e dos quais não abrem mão: a paridade e a integralidade na concessão dos benefícios previdenciários.

A Emenda e o Planejamento Estratégico serão encaminhados às entidades filiadas para que tomem conhecimento, e, a partir disso, intensifiquem as ações junto aos deputados federais em seus estados.

Segundo o presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, “esperamos que, desta vez, na discussão e votação da PEC paralela, o governo cumpra o compromisso assumido pelo presidente Bolsonaro com a nossa categoria, assim como os parlamentares que entendem a importância da valorização dos profissionais de segurança pública para a sociedade como um todo, entre outros motivos, por uma questão de justiça”. Gutierrez informou que a Confederação fará contatos com os parlamentares de todos os partidos, especialmente com as lideranças partidárias da Câmara dos Deputados.

“Com o planejamento estratégico que elaboramos, estamos otimistas quanto aos resultados do nosso trabalho, até porque, já em 2019, conseguimos avançar, e muito, na conscientização de que essa nossa luta não é apenas de uma ou mais categorias, mas de toda sociedade que exige profissionais cada vez mais motivados no desempenho da missão angular de proteção de nossos concidadãos”, argumentou Gutierrez.

Fonte: Comunicação COBRAPOL