Audiência Pública debate situação dos policiais civis do RN

Inúmeras lideranças da sociedade organizada compareceram nesta terça (9), na Audiência Pública promovida pela Câmara Municipal de Natal com o objetivo de discutir as Condições de Trabalho da Polícia Civil, Polícia Militar e Bombeiros do Rio Grande do Norte, bem como o descaso com a segurança pública e servidores do Estado.

 

A audiência foi proposta pelo vereador Sandro Pimentel. Os policiais civis, militares e bombeiros estão atuando sem condições estruturais necessárias e, há 23 meses, convivem com atrasos de salários.

 

Marcaram presença no evento o presidente do SINPOL-RN, Nilton Arruda; o presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez; a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), como também as lideranças das outras categorias da segurança pública no Estado. Todos foram solidários com a luta dessas categorias e unânimes na condenação da falta de sensibilidade dos governos estadual e federal com a própria proteção da sociedade.

 

O presidente da Confederação, na ocasião, reiterou a “solidariedade” da categoria em todo país à luta dos policiais civis e demais segmentos da segurança pública que “enfrentam, com muita competência, união e coragem o descaso e a omissão das autoridades que deveriam priorizar os investimentos em um setor tão fundamental para a sociedade”.

 

As lideranças criticaram também a negativa do Governo Federal de destinar recursos para o pagamento das pendências salariais com os diversos segmentos profissionais que atuam na segurança pública do Estado.

 

Fonte: COMUNICAÇÃO COBRAPOL

Lideranças em Natal no apoio a policiais civis do RN. COBRAPOL presente!

O SINPOL-RN recebeu, nesta segunda-feira, dia 8 de janeiro, a visita de representantes de sindicatos e associações de vários estados, bem como de federações e da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL). As lideranças vieram ao Rio Grande do Norte demonstrar apoio e respaldar a luta dos policiais civis potiguares.

 

“Para nós é uma grande honra receber os colegas representantes das polícias de outros estados. E essa presença aqui na nossa sede, na nossa assembleia, é importante para fortalecer o movimento e nos dá um gás novo para continuarmos lutando”, destaca Nilton Arruda, presidente do SINPOL-RN.

 

Estão presentes em Natal representantes da COBRAPOL, SINPOL-PE, SINPOL-DF, SINPOL-CE, ASPOL-PB, SSPC-PB, SINDPOL-PA, FEIPOL CENTRO-OESTE e NORTE, FEIPOL-NORDESTE, FEIPOL-SUDESTE, FEIPOL-SUL, FENAPRF, FENAPEF, SINPOL-SAN (SP), SINPOL-CAMPINAS e SINCLAPOL-PR. O deputado federal Cabo Sabino também esteve na sede do SINPOL-RN para demonstrar apoio aos policiais civis.

 

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, comentou durante assembleia no SINPOL-RN: “Parabéns pela força que todos vocês têm demonstrado. Queremos informar que nosso jurídico está sendo acionado para que possamos representar contra o desembargador que mandou prender os policiais do Rio Grande do Norte. E, além disso, reafirmamos que os policiais de todo o Brasil estão solidários a vocês e também estão mobilizados para apoiar essa luta”.

 

Divinato da Consolação Ferreira, presidente da Feipol Centro-Oeste e Norte, também ressaltou a importância dos policiais civis para as lutas da categoria em todo o país. “Esse sindicato tem história de luta e a imagem do presidente Nilton segurando uma algema para ser preso rodou o Brasil. Ela é a representatividade dessa luta. Podem tentar nos prender, mas jamais calarão nossa voz”, declarou.

 

Além das presenças de representantes sindicais em Natal, o SINPOL-RN tem recebido mensagens e notas de apoios de vários segmentos da sociedade e também de outras entidades representativas de classes de todo o Brasil.

 

Fonte: SINPOL-RN

Audiência Pública debate situação dos policiais civis do RN

Inúmeras lideranças da sociedade organizada compareceram nesta terça (9), na Audiência Pública promovida pela Câmara Municipal de Natal com o objetivo de discutir as Condições de Trabalho da Polícia Civil, Polícia Militar e Bombeiros do Rio Grande do Norte, bem como o descaso com a segurança pública e servidores do Estado.

 

A audiência foi proposta pelo vereador Sandro Pimentel. Os policiais civis, militares e bombeiros estão atuando sem condições estruturais necessárias e, há 23 meses, convivem com atrasos de salários.

 

Marcaram presença no evento o presidente do SINPOL-RN, Nilton Arruda; o presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez; a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), como também as lideranças das outras categorias da segurança pública no Estado. Todos foram solidários com a luta dessas categorias e unânimes na condenação da falta de sensibilidade dos governos estadual e federal com a própria proteção da sociedade.

 

O presidente da Confederação, na ocasião, reiterou a “solidariedade” da categoria em todo país à luta dos policiais civis e demais segmentos da segurança pública que “enfrentam, com muita competência, união e coragem o descaso e a omissão das autoridades que deveriam priorizar os investimentos em um setor tão fundamental para a sociedade”.

 

As lideranças criticaram também a negativa do Governo Federal de destinar recursos para o pagamento das pendências salariais com os diversos segmentos profissionais que atuam na segurança pública do Estado.

 

Fonte: COMUNICAÇÃO COBRAPOL

Policiais Civis do RN decidem regularizar atendimento à sociedade

Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram, no início da tarde desta terça-feira (9), regularizar o atendimento à sociedade nas delegacias. A categoria estava em mobilização desde o dia 20 de dezembro, cobrando o pagamento dos salários atrasados.

 

Nesta segunda-feira, o SINPOL-RN recebeu uma proposta do Governo do Estado, na qual há um compromisso de quitação do pagamento de dezembro até a próxima sexta-feira, dia 12 de janeiro.

 

“Diante das propostas e de contrapropostas que o SINPOL-RN fez, a categoria entendeu por regularizar os atendimentos. Em prol da sociedade, que tem nos apoiado desde o início, decidimos dar esse voto de confiança ao Governo do Estado. Agora, esperamos que o governador cumpra com o que se comprometeu”, explica Nilton Arruda, presidente do Sindicato.

 

Ele ressalta, inclusive, que o entendimento da categoria é que, caso na segunda-feira, dia 15 de janeiro, os pagamentos de dezembro dos ativos, aposentados e pensionistas não tenham sido concretizados, as mobilizações serão retomadas.

 

COBRAPOL – O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, presente no Rio Grande do Norte, ressaltou “a coragem e a determinação dos policiais civis do Estado, sob o comando do SINPOL e sob a liderança do companheiro Nilton Arruda, que demonstraram à sociedade a importância de nossa categoria na proteção do cidadão, fazendo com que o governo assumisse o compromisso de honrar as pendências salariais o mais urgentemente possível”.

 

O dirigente lembrou, ainda, que “o problema vivido pelos policiais civis do Rio Grande do Norte e demais categorias não é muito diferente do que está acontecendo em várias regiões do país, onde, infelizmente, cresce o descaso com a segurança pública por parte de autoridades locais e federais”. E conclamou: “Precisamos, por isso mesmo, estar cada vez mais unidos na defesa de nossos trabalhadores que dão a sua vida na proteção do cidadão e da sociedade”.

 

Fonte: SINPOL-RN/COMUNICAÇÃO COBRAPOL

Posse da ministra do Trabalho Cristiane Brasil ainda é dúvida

Cristiane Brasil, do PTB (foto), não pode tomar posse como ministra do Trabalho. O juiz Leonardo da Costa Couceiro suspendeu a nomeação dela.
O clima é de expectativa no Palácio do Planalto, a posse da nova ministra do Trabalho, Cristiane Brasil, marcada para esta terça-feira, 09, está nas mãos da Justiça.

O salão nobre foi arrumado para a cerimônia, mas o compromisso não entrou na agenda do presidente.

Cristiane Brasil, do PTB, ainda não pode tomar posse como ministra do Trabalho. O juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói, suspendeu a nomeação dela, depois de receber uma ação assinada por advogados trabalhistas.

Na decisão, o juiz disse que os fatos descritos para questionar a posse são graves e que houve flagrante “desrespeito à Constituição Federal no que se refere à moralidade administrativa, quando se pretende nomear para um cargo de tamanha magnitude, pessoa que já teria sido condenada em reclamações trabalhistas”.

A Advocacia Geral da União recorreu da decisão alegando que o impedimento da posse gera “situação de grave lesão à ordem pública e à ordem administrativa, interferindo de maneira absolutamente sensível na separação de Poderes, usurpando competência legitimamente concedida ao Poder Executivo”

E que: “Cabe somente ao presidente da República o juízo sobre quem deve ou não ser nomeado ministro de estado, especialmente porque não há qualquer impedimento legal no que tange à nomeação da deputada federal Cristiane Brasil”.

Cristiane Brasil já respondeu a dois processos trabalhistas. Ela não assinou a carteira de trabalho de dois funcionários, que eram motoristas dela. Foi isso que motivou a ação para impedir a posse. Em um dos processos, Cristiane Brasil foi condenada a pagar R$ 60 mil. No outro, foi feito um acordo e a indenização, de R$ 14 mil, está sendo paga em 10 vezes.

 

Fonte: Rede Brasil Atual