SINDPOL (AL) ESCLARECE QUE É A ÚNICA ENTIDADE REPRESENTATIVA LEGAL DOS POLICIAIS CIVIS

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas – SINDPOL – esclarece que é única entidade representativa legal da categoria dos Policiais civis de Alagoas. O Sindicato reafirma que não faz parte de nenhum comitê partidário ou de entidades partidárias.

A diretoria do Sindicato destaca que tem compromisso com os policiais civis, enfatizando que notas ou informações partidárias, difundidas nas redes sociais, não têm apoio do SINDPOL.

Há um grupo de policiais civis que faz parte de um comitê e tem direito de expressar suas opiniões partidárias e expressões individuais. Esses policiais civis não expressam a totalidade da categoria. Vale ressaltar que a nota desse comitê não cita o nome do SINDPOL.

Fonte: SINDPOL (AL)

UPB intensificará luta em defesa da aposentadoria diferenciada para os policiais. COBRAPOL presente!

A COBRAPOL, através de seu presidente, André Luiz Gutierrez, participou de reunião da União dos Policiais do Brasil (UPB), nesta segunda-feira (14), em Brasília, para debater, mais uma vez, o tema da Reforma da Previdência, em razão da prioridade com que governo e Legislativo estão tratando a matéria, considerada essencial para a retomada do crescimento econômico do país.

A UPB, pela unanimidade das entidades que a integram, decidiu considerar, em razão das particularidades e peculiaridades das atividades dos trabalhadores que atuam nos diversos segmentos da segurança pública nacional, que os mesmos devem ser excluídos da reforma da Previdência, especialmente em função das atividades de risco que, invariavelmente, exercem.

Além disso, a UPB cobrará o apoio institucional aos pleitos defendidos pela entidade nessa importante questão. A primeira iniciativa será o encaminhamento de solicitações para uma agenda com ministros e parlamentares da bancada da segurança pública, de modo a levar ao conhecimento das autoridades os problemas que afetam a comunidade policial, principalmente, no tocante ao tema da reforma previdenciária, buscando o comprometimento dos mesmos com os pleitos defendidos pela UPB.

Já foram contatados, com essa finalidade, os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Além da COBRAPOL, integram a UPB as seguintes entidades; SINPOL-DF, SINDEPOL-DF, SINDIPOL-DF, FENAPRF, FEPANEF, FENADEPOL, CONGM, CENTRAPOL, APCF, ANSEF, ANEPF, ADPF, AMPOL, ABRAPOL E ABC (na foto, acima, os representantes das entidades na reunião da UPB realizada nesta segunda, 14).

Fonte: Comunicação COBRAPOL

SECRETÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA REÚNE-SE COM COBRAPOL

O secretário nacional de Segurança Pública, General Guilherme Theóphilo, recebeu na tarde desta segunda-feira (14), em seu gabinete, no Ministério da Justiça, em Brasília, uma representação da COBRAPOL coordenada pelo presidente André Luiz Gutierrez.

A audiência foi proposta com o objetivo de se discutir com o representante da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) os projetos e as demandas da entidade e da categoria dos trabalhadores policiais civis, como a Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil e as matérias que tramitam no Congresso Nacional – o Ciclo Completo e a unificação das polícias.

Segundo Gutierrez, o secretário “ouviu com atenção e foi receptivo às nossas demandas e se colocou à disposição para que possamos intensificar o diálogo”. Tanto é que uma nova reunião na SENASP já ficou agendada para o dia 25 de janeiro, ocasião em que a COBRAPOL apresentará de forma detalhada a proposta de Lei Orgânica, cujo texto já foi encaminhado tanto ao Executivo quanto às lideranças do Legislativo brasileiro.

Reforma da Previdência – O presidente da COBRAPOL informou, ainda, que durante a reunião também foi abordada a questão da reforma da Previdência, ocasião em que os representantes da Confederação reiteraram a importância do governo apoiar, como já está sinalizando com alguns segmentos, uma aposentadoria diferenciada para os policiais civis, como ocorre atualmente, em razão da atividade de risco que exercem.

Da direção da COBRAPOL, além de Gutierrez, compareceram à audiência Alex Galvão (2° vice-presidente) e Marcele Alcântara (diretora de Assuntos da Mulher Policial), além dos dirigentes Marcus Monteiro (FEIPOL-CON), Francisco Lucas de Oliveira (SINPOL-CE) e José Carlos Saraiva (SINPOL-DF). Acompanhou a reunião, também, o Coronel Medeiros (todos na foto, acima, com o General Theóphilo).

Fonte: Comunicação COBRAPOL

COBRAPOL REUNE-SE COM VEREADORA NO SUL PARA FORTALECER PARCERIA

Na última quarta-feira (9), a Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL), representada por seu vice-presidente Regional Sul, Sandro Quevedo, esteve presente na Câmara Municipal de Vereadores de Porto Alegre, para dar as boas vindas e desejar sorte à nova presidente do legislativo municipal, Vereadora Mônica Leal (PP) (foto).

A vereadora tem a segurança pública como bandeira e sempre se fez presente em assuntos de interesse da Polícia Civil.

Na oportunidade, foram abordados temas de extrema importância como o anteprojeto de Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil (LONPC) – Projeto da Carreira Única, que busca reestruturar a carreira policial e, assim, valorizar a experiência dos Policiais Civis, como também a questão da Previdência dos policiais civis, objeto de muitas preocupações dos servidores,

A parlamentar ouviu as demandas da categoria e afirmou estar sempre à disposição para fazer defende-las.

Na ocasião, os dirigentes desejaram à vereadora Mônica Leal um excelente mandato e reiteraram a disposição de manter um diálogo franco para fortalecer a instituição e seus trabalhadores.

Fonte: Comunicação COBRAPOL

PUBLICADO EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO V CONFEIPOL-NORDESTE

As entidades representativas do Nordeste publicaram no Diário Oficial da União (DOU) (foto abaixo) o Edital de convocação dos policiais civis dessa região do Brasil para o V CONFEIPOL NORDESTE, que será realizado nos dias 6, 7 e 8 de fevereiro de 2019, em Recife-PE, na sede do SINPOL-PE.

SINDPOL-AL, SINPOCI-CE, SINPOL-MA, SINPOL-RN, SINPOLPI, SPCES (Sergipe), SINPOL-PE, além de uma representação da COBRAPOL, decidiram em reunião devidamente convocada a realização do referido Congresso, com a seguinte pauta: 1 – Alteração Estatutária; 2 – Eleições para a escolha da Diretoria Executiva, Conselho Fiscal, Conselho de Entidades e Conselho de Ética; 3 – Ato de Desagravo a ser realizado contra as perseguições políticas pelas atividades sindicais do presidente e vice do SINPOL-PE, Áureo Cisneiros e Rafael Cavalcanti, bem como aos companheiros do Estado do Ceará, em especial seu presidente, a vice e o diretor financeiro, Lucas de Oliveira, Ana Paula Cavalcante e Cristiano Cunha, respectivamente, por terem comandado a campanha salarial de 2016; e 4 – Outros assuntos de interesse da categoria.

As entidades que convocam o Congresso fazem um apelo para assegurar uma participação representativa no evento, pois estarão em debate temas da atualidade de grande relevância para os trabalhadores policiais civis.

 

SINDPOL-AL realizará Seminário sobre Ciclo Completo e Unificação das Polícias

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (SINDPOL) realizará Seminário sobre Ciclo Completo de Polícia e Unificação das Polícias no dia 18 de janeiro, a partir das 9 horas, no Hotel Verde Mar, em Maceió (AL).

Os policiais civis poderão se inscrever até o dia 16 de janeiro. Para isso, basta apenas enviar e-mail ao SINDPOL (sindpol@sindpol-al.com.br) ou ligar para 3221-7608, informando o nome completo, contato e local de trabalho.

Para realização do Seminário, o SINDPOL convidou o presidente da FEIPOL Norte, Itamir Lima, que ministrará a palestra sobre Ciclo Completo das Polícias. E o diretor do SINPOFAL, Jorge Venerando, comandará a palestra sobre Unificação das Polícias. Após cada palestra, haverá espaço para debate e deliberações.

Todas as deliberações do Seminário serão encaminhadas à assembleia geral dos policiais civis, marcada para o dia 21 de janeiro, às 13 horas, no Sindicato dos Urbanitários.

A realização do seminário faz parte das ações da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL), que visam debater o Ciclo Completo de Polícia, Unificação das Polícias e suas implicações à categoria.

As discussões da temática no novo governo federal possuem alguns pontos negativos aos policiais civis, que precisam ser superados. Pela proposta, a Polícia Militar passa a investigar, e a Polícia Civil ficará com a investigação de crimes de alta complexidade. Especialistas na área de segurança pública indicam que a Polícia Civil pode ser extinta. A proposta de unificação também proíbe os policiais civis de terem representatividade sindical, o que significa a militarização da Polícia Civil e de toda a segurança pública.

Programação do Seminário

9h às 10h30 – Palestra Ciclo Completo com Itamir Lima

10h às 12h – Debate e deliberações

12h – Almoço (Terraço Hotel)

13h30 às 15h – Palestra Unificação das Polícias com o diretor do SINPOFAL, Jorge Venerando

15h às 16h30 – Debate e deliberações

Fonte: SINDPOL-AL

MAIS UM ALERTA SOBRE A GRAVE SITUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA

O tema da segurança pública tornou-se, nos últimos anos, foco das maiores preocupações das autoridades públicas em todos os níveis, das organizações sociais e da sociedade como um todo.

O que acontece, hoje, no Estado do Ceará e, em menor proporção, em outras unidades federativas, é o retrato da situação em que se encontra a segurança pública do país, relegada, na última década, à última das prioridades dos governos e jogada, sem piedade, no descaso e no abandono.

A Polícia Civil, instituição estratégica na defesa da sociedade e do cidadão, ao longo dos últimos anos, tem enfrentado inúmeras dificuldades para exercer a missão institucional para a qual foi criada, em razão da falta de investimentos no setor, da ausência de uma política de motivação do seu efetivo humano e das distorções funcionais que a COBRAPOL já apontou inúmeras vezes, o que a levou a apresentar às autoridades do Executivo e do Legislativo uma nova Lei Orgânica da Polícia Civil.

Atrasos em salários, supressão e ameaças a direitos adquiridos, perseguições às lideranças sindicais da categoria, entre outros fatores, provocaram, recentemente, paralisações e protestos de toda natureza, na busca de sensibilizar governos e políticos da necessidade de adotar uma nova postura, valorizando aqueles trabalhadores que, cotidianamente, arriscam sua vida pela paz social.

Uma das questões mais gritantes, entretanto, dessa difícil e dura realidade que ainda vivemos foi retratada, com muita propriedade e realismo, pelo Portal Metrópoles, de Brasília, ao analisar as doenças que atingem os profissionais da segurança pública, na matéria sob o  título “Quando a Polícia Adoece”.

O presidente da COBRAPOL, André Luiz Gutierrez, ressaltou “a importância de mais um chamado da imprensa brasileira quanto a esta mazela que é resultante do descaso e do abandono a que foi relegada a Polícia Civil enquanto instituição e seus trabalhadores”, acrescentando que “espera-se, agora, diante do novo quadro nacional, que a questão da segurança pública seja tratada realmente de forma diferenciada, buscando-se mudanças estruturais, pois, em última instância, o que está em jogo é a segurança da sociedade e dos cidadãos de bem desse país”.

A íntegra da reportagem pode ser acessada pelo link:

Gatilho para suicídio, doenças mentais viram epidemia entre policiais

Fonte: METROPOLES/COMUNICAÇÃO COBRAPOL