NOTA DE REPÚDIO AO GOVERNO DE ALAGOAS 

A Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis – COBRAPOL, valendo-se das prerrogativas de defensoras dos direitos e garantias dos interesses das entidades Policiais Civis do Brasil e seus filiados, em razão das declarações prestadas pelo governador do Estado de Alagoas, Senhor Renan Calheiros Filho, nas quais afirma que a atividade policial civil não é considerada uma profissão de risco, meramente com o intuito de desqualificar a instituição policial perante a opinião pública, vem a público lançar o seu mais veemente repúdio.

Informamos à população do nosso País que este tipo de situação está sendo orquestrada pelo Governo de Alagoas, com divulgação de informações maldosas sobre a Polícia Civil, objetivando desviar a atenção da população para as mazelas que ocorrem naquele Estado, principalmente no tocante aos salários da categoria; manutenção de presos em delegacias, em condições análogas à de escravos, fato que vem sendo denunciado pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas – Sindpol; além de outros flagrantes descumprimentos às legislações estadual e federal.

Lamentavelmente, o Senhor Renan Calheiros Filho se comporta como um senhor feudal e trata Alagoas com o se fosse uma de suas propriedades particulares. Porém, ao tentar desqualificar a instituição Polícia Civil de Alagoas, demonstra total desconhecimento da causa pública e incompetência administrativa, com a utilização de artifícios concebidos para produzir a ilusão da verdade, com o objetivo de passar para a opinião pública a falsa imagem de que policiais civis não correm risco. Ao invés de emitir opiniões desqualificadas, deveria, como maior mandatário eleito pelo povo das Alagoas, cumprir com o seu papel e implementar políticas de segurança pública com o objetivo de controlar a violência crescente no seu Estado.

    JÂNIO BOSCO GANDRA
Presidente da COBRAPOL

COBRAPOL convoca XVI Congresso

IMG-20160808-WA0003

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRABALHADORES CóDIGO POLICIAIS CIVIS – COBRAPOL
EDITAL Marsz DE CONVOCAÇÃO XVI CONGRESSO NACIONAL DA COBRAPOL

O Presidente da Confederação Brasileira wholesale jerseys de Trabalhores Policiais Civis – COBRAPOL, no uso de suas atribuições estatutárias CONVOCA as entidades filiadas, que obedecerem o Art° 12 GEORG e seus wholesale jerseys §1º, 2º wholesale nfl jerseys e 3º do estatuto da Cobrapol, para se reunirem a partir das 19h no dia Wanted 25 de agosto a 27 de agosto das de 2016 na Rua cheap jerseys João Damasceno, 02 Ponta do Farol– Hotel Luzeiros – São Luís – MA para o XVI CONGRESSO NACIONAL DA COBRAPOL – POR UM NOVO MODELO DE POLÍCIA com a seguinte pauta:
1)Seminário e brown debates com o tema ” Por Iceland Um Modelo de Polícia mais Justo”
2) Prestação de contas anual
3) Homologação de cargo da diretoria
4) Organização sindical dos a Policiais Civis

Brasília, 27 de julho de 2016

JANIO BOSCO GANDRA
PRESIDENTE DA COBRAPOL

Edital de Convocação

O Presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL), Janio Bosco Gandra, no uso de suas atribuições estatutárias convoca a Diretoria Executiva para se reunirem a partir das 9h nos dias 24 e 25 de outubro com a seguinte pauta:
1- Avaliação das mobilização dos dias 13, 14 e 21/09;
2- Calendário da escala dos diretores em Brasília;
3- Assuntos financeiros e administrativos;
4 – Situação organizacional da Cobrapol ( demanda jurídicas e nomeação de cargos da diretoria);
5- Demais assuntos.

COBRAPOL reúne com ministro da Defesa

IMG_2617O ministro da Defesa, Raul Jungmann, recebeu a COBRAPOL e os demais representantes dos trabalhadores policiais  em reunião no dia 19/10 (quarta-feira), para tratar da aposentadoria dos policiais. Estavam presentes Jânio Bosco Gandra,  presidente da Confederação; Luís Antonio Boudens, presidente da FENAPEF; José Cavalcanti, representando a FENAPRF; Márcio Ronaldo de Assis, vice-presidente da FENEME; Frederico França, presidente da OPB; além dos presidentes do Sinpol/SE, Jorge Henrique; e do Sinpol/SC, Anderson Vieira Amorim. Os representantes da categoria policial pediram o apoio do ministro em questões relacionadas a reforma da Previdência. A reunião foi agendada pelo senador Álvaro Dias.

Fonte: Imprensa COBRAPOL

COBRAPOL prepara XVI Congresso Nacional

IMG-20160808-WA0003

Acontece de 25 a 27 de agosto em São Luís, no Maranhão, o XVI Congresso Nacional da COBRAPOL, com o tema “Por um novo modelo de Polícia”. O Congresso é a instância máxima da Confederação. Durante os três dias de evento serão realizados debates e um seminário com o tema “Por Um Modelo de Polícia mais Justo”. Na oportunidade também será apresentada a Prestação de Contas Anual; realizada a homologação de cargo da diretoria e discutida a organização sindical dos Policiais Civis.

Todas as entidades filiadas à Confederação podem participar da atividade, desde que estejam em dia com suas obrigações estatutárias. Os participantes do evento ficarão hospedados no Hotel Luzeiros, localizado na Rua João Damasceno, 02 Ponta do Farol.

As informações do Congresso serão atualizadas diariamente na nosso site.

Entidades reforçam criação de agenda positiva para tratar das demandas dos policiais

A COBRAPOL e representantes da FEIPOL-SUL, FEIPOL-NORDESTE, FEPOL-NORTE, FERPOL CENTRO-OESTE e SUDESTE, FENAPEF e FENAPRF se reuniram ontem com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que recebeu os sindicalistas, mas passou a condução da reunião para o secretário Executivo da pasta, José Levi. De antemão, ficou acordo que uma nova audiência será agendada para que os sindicalistas possam expor as demandas da categoria diretamente ao ministro.

 

Ao secretário Levi, o presidente da COBRAPOL, Jânio Bosco Gandra, reforçou a necessidade da implantação de uma Agenda Positiva para a discussão das demandas urgentes dos policiais, que inclui alterações na Lei Geral da Polícia Civil (PL 1949/2007); expansão do papel do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP) na formulação das políticas na área de segurança pública; discussão da aposentadoria especial cheap mlb jerseys para os policiais, entre outras questões de igual importância.

Gandra também ressaltou o descontentamento da categoria com a forma omissa com que os governos estaduais e federal vêm lidando com as DE mortes sistêmicas de policiais. “O governo americano prestou homenagem aos policiais mortos nos ataques em Уведомление Dalas (Texas), inclusive com a presença do presidente Barak Obama. Somente o Rio de Janeiro e o Ceará já somam oito mortes de policiais, e não vemos a mesma postura dos governantes brasileiros”, afirmou Gandra. “O tratamento dos governantes norte-americanos demonstra o empenho para a valorização dos Policiais”, conclui. O presidente da COBRAPOL também questionou as propostas com do governo para o enfrentamento da criminalidade e para a redução da violência.

O presidente da FENAPEF, Luiz Antônio Boudens, demonstrou preocupação direta com todos os problemas acumulados na Segurança Pública, explicou que a Polícia Federal sempre trabalhou junto do Governo Federal, mas chamou a atenção para a omissão das instituições governamentais. Ele também afirmou que a Força Nacional deve ser extinta e pediu o combate às Leis Available! 12.830 e 13.047, que fogem à legalidade e normalidade. “Devemos considerar ainda que o trabalho em equipe é primordial, por isso, o MJ deve barrar projetos dessa natureza”, afirmou.

O representante da FENAPRF, Jesus Castro Caamaño, endossou as palavras dos sindicalistas wholesale nfl jerseys que o antecederam e voltou a cheap nfl jerseys chamar a atenção para os números alarmantes de mortes de Policiais. “O índice da população é em torno de 28 homicídios por 100.000 habitantes, enquanto para os policiais, esse índice é muito mais alarmante e assustador, chegando a 88 homicídios por 100.000 habitantes”, afirmou, acrescentando que o sistema de segurança pública é ineficiente e que atualmente, os policiais são reféns da criminalidade. Ele também reforçou o pedido de extinção da Força cheap mlb jerseys Nacional.

O presidente da FEIPOL SUL em exercício, Anderson Vieira Amorim, alertou da necessidade da mudança urgente nos modelos de polícias, pois é um modelo arcaico e falido, que vem desde 1808. Ele também informou ao secretário sobre a criação do Instituto Internacional de Ciências Policiais, que visa exatamente trabalhar esses novos modelos. Anderson ainda solicitou que o MJ olhe com carinho para a inclusão dos termos “paridade e integralidade” na LC 144.

O presidente do SINPOL-SE, José Alexandre, chamou a atenção para a necessidade de apoio a PEC 24, para a formação de uma agenda positiva com o MJ. Já o diretor do SINPOL-GO, Antônio da Costa e Silva Neto, endossou algumas falas dos demais e acrescentou sobre a necessidade de se rever o tal monopólio das armas e a abertura do mercado. O presidente do SINPOL-GO, Paulo Sérgio Alves de Araujo, informou que Goiânia infelizmente figura como a 23ª capital mais violenta do mundo e até agora já foram confirmadas oito mortes de policiais, chamou a atenção para o descaso com as polícias de Goiás por parte do governo estadual, rebaixando os seus salários, mesmo com a previsão de irredutibilidade de salários, o que tem causado extrema indignação dos policiais daquele estado.

O presidente do SINPOL-MS, Giancarlo Corrêa Miranda, chamou a atenção para os problemas de fronteiras, onde acontecem o extermínio de policiais sem apoio Συρματοπλ?γματα algum dos governos, a necessidade de reforço imediato nas fronteiras, pois o crime está se espalhando e os policiais estão sendo deixados de lado pelo poder público.

O secretário-executivo do MJ, José Levi, agradeceu a presença de todos, afirmando a necessidade de vários debates a curto, médio e longo prazos. Afirmou ainda que anotou todos os pleitos é que encaminhará detalhadamente ao ministro da Justiça, dando ênfase à questão das aposentadorias.

Por Giselle do Valle

Fonte: Imprensa Sindsep-DF

Assembleia da UPB

Acontece neste momento a assembleia da União dos Policiais do Brasil – UPB. Assembleias semelhantes ocorrem nos estados para tratar da seguinte pauta:

1- Ratificar o ato de criação do movimento da UPB em defesa da Segurança Pública;

2- Informar sobre a necessidade de manutenção da atividade de risco para o exercício da função policial na Constituição Federal, retirada pelo governo federal quando do encaminhamento da Proposta de Reforma da Previdência (PEC 287/16);

3- Aprovar o Dia Nacional de Mobilização da UPB – União dos Policiais do Brasil, a ser realizada em Brasilia/DF.

4- Aprovar a criação de um fundo único para prover o custeio das mobilizações futuras.

Mais informações em breve.

 

Por Giselle do Valle

Imprensa COBRAPOL

INFORME (UNIÃO DOS POLICIAIS DO BRASIL – UPB)

AS COORDENAÇÕES PARLAMENTAR E A  DE MOBILIZAÇÃO DA  UNIÃO DOS POLICIAIS DO BRASIL, COMUNICAM   QUE  FOI MANTIDA A REALIZAÇÃO DAS ASSEMBLEIAS ESTADUAIS NO DIA 21 DE DEZEMBRO DE 2016, AS 10 HORAS , EM LOCAL A SER DEFINIDO PELAS LIDERANÇAS  LOCAIS. COM O OBJETIVO DE:

  • RATIFICAR O ATO DE CRIAÇÃO  DO MOVIMENTO DA UNIÃO DOS POLICIAIS DO BRASIL – UPB , EM DEFESA DA SEGURANÇA PUBLICA;
  • INFORMAR SOBRE A NECESSIDADE DE MANUTENÇÃO DA ATIVIDADE DE RISCO PARA O EXERCÍCIO DA FUNÇÃO POLICIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, RETIRADA PELO GOVERNO FEDERAL QUANDO DO ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA DE REFORMA DA PREVIDÊNCIA (PEC 287/16).
  • APROVAR O DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO DA UPB – UNIÃO DOS  POLICIAIS DO BRASIL,  A SER REALIZADA EM BRASILIA/DF.
  • APROVAR A CRIAÇÃO DE UM FUNDO ÚNICO  PARA PROVER O  CUSTEIO DAS  MOBILIZAÇÕES FUTURAS.

 

 

BRASILIA, 19  DE DEZEMBRO DE 2016

 

 

COORDENAÇÃO CENTRAL DA  UNIÃO DOS POLICIAIS DO BRASIL (UPB)

 

 

Edital de Convocação

O presidente da COBRAPOL no uso das suas atribuições tem a honra de convidar todas as entidades que representam a categoria dos policiais civis para participarem de uma reunião com a COBRAPOL e suas entidades filiadas no dia 25/10/2016, às 9:00h no hotel Windsor Brasília ( SHN Qd 01 – conjunto a – entrada b, Asa Norte – DF).

Assunto: propostas do governo que atingem os policiais civis (PEC 241, aposentadoria do policial civil e PEC da segurança).

Brasília, 19 de outubro de 2016.

 

Janio Bosco Gandra

Presidente da COBRAPOL

 

Dia 21/09: 17 estados aderem à paralisação nacional dos policiais civis

A COBRAPOL e suas entidades filiadas convocam todos os policiais civis do País para aderirem à paralisação nacional da categoria, que tem início às 8h da manhã do dia 21/09 (quarta-feira) e se estende até às 8h do dia 22/09 (quinta-feira). Até o momento, 17 estados já confirmaram a adesão à atividade, após a realização de assembleias-gerais convocadas pelos sindicatos.

Neste período, as delegacias específicas funcionarão apenas para flagrantes e emergência. O registro de ocorrências e as investigações estarão suspensos. Às 24 horas de paralisação é contra o pacote de maldades do Governo Temer que retira direitos e conquistas dos servidores públicos. Entre os principais textos nefastos em tramitação no Congresso Nacional estão a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241/2016 – que congela todos os gastos primários (de onde saem os recursos para o pagamento de pessoal) por 20 anos, período em que o dinheiro economizado será canalizado para o pagamento da dívida pública, que atualmente consome quase metade do orçamento do país. Esse texto também retira recursos que seriam destinados atualmente em áreas como educação, saúde e segurança pública, por exemplo.

Outra proposição igualmente perigosa é o Projeto de Lei da Câmara (PLC-Complementar) nº 54/2016 – oriundo do Projeto de Lei Complementar (PLP) 257 – que ao limitar o crescimento anual das despesas primárias correntes (o que inclui a folha de pagamento) à variação da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços do Consumidor Amplo – IPCA, torna inviável a concessão de reajustes salariais e mesmo a abertura de novos concursos públicos. A matéria já foi aprovada na Câmara e tramita com bastante agilidade no Senado Federal.

Por Giselle do Valle

Fonte: Imprensa COBRAPOL